Ser ou Não Ser Comerciante

Por Soeli de Oliveira

 

Para ter sucesso no varejo, não basta abrir uma porta num prédio de uma rua movimentada e esperar que as pessoas entrem para comprar. As ruas realmente estão cheias de lojas e poucas pessoas se dão conta de que muitas delas trocam de endereço ou fecham antes de seu primeiro ano de vida.

 

O comerciante abre a loja e o cliente decide entrar ou não. Muitas portas estão abertas oportunizando uma ampla variedade de escolha aos consumidores.

 

A concorrência é grande e ganha a preferência quem está mais atualizado, melhor aprimorado, e mais se identifica com as necessidades dos consumidores.

 

Vocação é a denominação de uma série de talentos e esforços para alguém ter o melhor desempenho na escolha de uma atividade empresarial. Para ser um lojista de sucesso, é necessário principalmente gostar de gente.

 

A vocação para o comércio é um dos primeiros pré-requisitos para pensar em trabalhar no varejo. Quem não tem habilidade, gosto e aptidão para lidar com pessoas, tem de pensar bem antes de abrir o negócio.

 

Ser comerciante é algo que está dentro da pessoa, que pode e deve ser aprimorado.

 

Vocação não é necessária somente para exercer o sacerdócio, ela é inerente a toda atividade humana, e para o comércio tem grande importância. Ela também exerce função relevante na escolha dos auxiliares, pois um dos segredos para o sucesso do lojista é ter funcionários que também tenham essa vocação.

 

É preciso escolher colaboradores que tenham empatia, saibam colocar-se no lugar dos clientes e que tenham simpatia, façam um esforço consciente para agradar aos clientes.

 

É importante no recrutamento buscar a vocação de relacionamento com o cliente. A equipe deve ser montada levando em conta que tenha bom perfil de comércio. E isso pode ser aprimorado. Quando a pessoa tem perfil e potencial, faz-se o aprimoramento como quem lapida um diamante.

 

Mas, vocação por si só não é suficiente. Existem três tipos de pessoas no mundo: as que ficam observando o que acontece, as que fazem acontecer, e as que perguntam o que aconteceu.  O ser humano que não tiver força de vontade para progredir fatalmente regredirá.

 

O treinamento é fundamental, pois além de moldar as pessoas para o que vão fazer, tem a função de aprimorar e de atualizar os profissionais.

 

É indispensável acompanhar a evolução do negócio e das necessidades dos clientes. No passado, as necessidades eram “x” e agora são “y” e mais alguma coisa. A vocação deve ser aprimorada, o lojista deve estudar e se aperfeiçoar para apresentar sempre as melhores soluções para os clientes. Os sinais que recebe do mercado sugerem o caminho a ser trilhado. Estar atento ao universo de coisas que acontecem é necessário para melhorar o negócio continuamente.

 

Soeli de Oliveira é Consultora e Palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios, nas áreas de Marketing, Varejo, Motivação e Atendimento. www.itnconsultoria.com.br  - E-mail: soeli@sinos.net - Novo Hamburgo - RS.