O Segredo da Empregabilidade

 

Por Soeli de Oliveira

 

O mundo tem passado por periódicas crises de desemprego. Mesmo assim, está difícil conseguir um profissional que exerça o seu trabalho a contento. Normalmente as pessoas fazem o mínimo possível e às vezes, nem isso, para manterem-se empregadas.

 

Quem faz um trabalho mal feito é um derrotado em todos os sentidos. É fraco fisicamente. Não consegue executar sua tarefa de forma competente. É fraco intelectualmente. Não entende que um trabalho mal feito gera o retrabalho e atrasa a produção. Terá que ser refeito novamente. Se não por ele, por outra pessoa; o que dá na mesma, pois se cansou em vão e gerou mais custos do que o necessário. Maiores custos tiram a competitividade das empresas e por sua vez diminuem os empregos.

 

O desenvolvimento tecnológico contribui para o comodismo e a preguiça. Com um toque no controle remoto, muda-se o canal da televisão sem precisar levantar-se da poltrona. Do carro abre-se a porta da garagem, sem a necessidade de sair do veículo. Há máquinas para quase tudo dentro de casa: lavar e secar roupas, louças e aspirar o pó. Cada vez mais, as empresas lançam produtos para facilitar o dia-a-dia dos consumidores. O mercado de alimentos congelados de todas as espécies está em franca expansão. Legumes lavados e cortados já estão disponíveis nas gôndolas até dos pequenos mercados.

 

Em vez de acomodarem-se, os profissionais deveriam aproveitar a sobra de tempo para se desenvolverem, para serem melhores profissionais e fazerem melhor suas obrigações. No entanto é cada vez mais raro encontrar pessoas buscando conscientemente desenvolver seus conhecimentos, habilidades e atitudes.

 

Engana-se quem pensa que já sabe tudo e que não há necessidade de se desenvolver. Tornar-se competente é buscar sempre melhorar. A meta é fazer hoje, melhor do que ontem, e amanhã ir além de hoje.  Competência no dicionário é capacidade, aptidão, habilidade. E o que é ser competente?  É fazer o que deve ser feito. E até mais do que foi solicitado ou pago para fazer. O ser humano competente busca sempre superar a si mesmo, utilizando todas as suas capacidades para fazer o melhor que pode. Isso exige boa vontade, esforço e determinação.

 

Exemplos de desleixo não faltam. Contratamos um pedreiro para um determinado serviço. Se ele for ganhar por dia, quando chegar o horário da saída, vai em disparada sem lavar nem guardar as ferramentas que utilizou. Duas horas antes do final do expediente já não prepara a massa. Se não teria de consumir com ela... trabalhando é claro!

 

Muitos pintores para executar sua tarefa mais depressa passam o rolo sobre tudo. Não fazem caso dos rodapés, das ferragens, nem dos quadros das portas e janelas. Alguns, para economizarem o trabalho de tirar os parafusos, fazem o molde das tampas das caixas das tomadas elétricas e interruptores em papel ou simplesmente os ignoram.

 

Mesmo nas grandes empresas, a maratona em direção ao banheiro dez minutos antes do final do expediente, para lavar as mãos e maquiar-se, está virando coisa normal. No varejo, se você detesta ver cara veia, não entre numa loja nos quinze minutos finais de expediente.

 

A Lei de Gerson, “levar vantagem em tudo”, parece estar impregnada na maioria dos trabalhadores. Em todas as áreas profissionais encontramos pessoas incompetentes que querem gastar o mínimo de tempo e de esforço para ganhar o máximo de dinheiro. O papo que corre solto nos corredores é “dispensa”, “atestado”, “folga”, “compensação”, “feriadão”, “cesta básica” e “salário desemprego”. Na economia de serviços que vivemos, devemos fazer tudo que chega às nossas mãos com todas as nossas forças e habilidades, combinando-as com a atitude correta. Não podemos fugir do trabalho, por isso, devemos nos empenhar por fazê-lo com o máximo de empenho e qualidade. Não é a tarefa que temos de cumprir, mas a atitude que faz toda a diferença. Fazer com empenho nossas atribuições usando toda a nossa força física, intelectual e até espiritual é o grande segredo da empregabilidade.

 

Soeli de Oliveira é consultora e palestrante das áreas de marketing, varejo, atendimento e motivação do Instituto Tecnológico de Negócios. www.itnconsultoria.com.br  – E-mail: soeli@sinos.net – Novo Hamburgo – RS