O Conforto Favorece as Vendas no Varejo

 

Por Soeli de Oliveira

 

 

Fique atento às percepções e à experiência vivida pelo cliente dentro de seu estabelecimento. O cuidado com a limpeza, a organização e o conforto do ponto de venda é compensado por um maior volume de vendas, pois quanto mais tempo o cliente fica dentro da loja, mais ele compra.

 

CLIMATIZAÇÃO

Locais muito quentes ou gelados afugentam os consumidores. O ponto de venda deve ser um ambiente com condições ideais de temperatura, iluminação, acústica (sons) e aromas. Em relação à temperatura, não há nada mais desaconselhável que um ambiente frio ou quente demais.

 

ILUMINAÇÃO

A boa iluminação valoriza o ambiente, torna-o claro e agradável e destaca as mercadorias. Ambientes com correta luminosidade transmitem uma sensação de limpeza, atraem clientes e contribuem para que eles permaneçam por mais tempo dentro da loja.

 

A intensidade da iluminação deve ser projetada para não haver luz demais nem de menos. Economizar energia elétrica nem sempre é um bom negócio, pois o ponto de venda deve ser claro mesmo durante o dia. Lojas escuras desestimulam os clientes a entrar e passam uma percepção de desleixo. Diferentes luzes são utilizadas para diferentes efeitos e destaques. Algumas lojas, por exemplo, se valem de luzes especiais nos provadores para “emagrecer” os clientes.

 

CORES

As cores devem ser usadas para comunicar a identidade e a imagem da loja, e não o seu gosto pessoal.

 

AROMAS

Ambientes com cheiro agradável representam um atrativo a mais. Algumas empresas utilizam aromas característicos para fortalecer a personalidade do ambiente e favorecer a sensação de bem–estar dos clientes, fazendo com que permaneçam por mais tempo dentro da loja consumindo. Já cheiros desagradáveis podem afugentar os clientes e passar a percepção de falta de higiene.

 

SONS

Lojas silenciosas intimidam os clientes. A música ambiental pode contribuir para a criação de uma atmosfera de bem-estar. No entanto, é necessário ter cuidado em relação ao volume e ao gênero musical escolhido. O volume da música ambiental não deve atrapalhar a comunicação. Precisa ser audível e ao mesmo tempo suave.

 

O tipo de música depende do público-alvo e do posicionamento. Não atribua a escolha aos funcionários,  pois eles tendem a selecionar músicas de gosto pessoal. Nem sintonize rádio, pois pode estar fazendo propaganda da concorrência. Os gêneros musicais mais recomendados são Musica Popular Brasileira (MPB), Lounge Music e Jazz.  Gêneros como pagode, sertanejo, rock pesado e música eletrônica são desaconselháveis por serem mais “pesados” e podem até mesmo irritar os que não os  apreciam. Músicas leves e lentas predispõem ao relaxamento dos clientes que, esquecendo das horas, tendem a consumir mais.

 

Enfim, avalie o ponto de sua loja ou os pontos onde seus produtos são distribuídos, relacione o que pode ser melhorado e venda mais e melhor!

 

Soeli de Oliveira é Consultora e Palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios nas Áreas de Marketing, Varejo, Atendimento e Motivação. www.itnconsultoria.com.br - E-mail: soeli@sinos.net – Novo Hamburgo – RS.