Empresa Tem Alma

 

Por Soeli de Oliveira

 

 

O ritmo das mudanças de mercado é implacável com os que ousam parar no tempo, certos de que descobriram a fórmula mágica do sucesso.  Empreendedores que acreditam que basta repetir o que funcionou no passado para continuar crescendo, correm sérios riscos de desaparecer na poeira dos mais rápidos.  Sucesso no passado e no presente não é nenhuma garantia de sucesso no futuro. Sabedoria mercadológica é olhar todos os dias para o mercado com a curiosidade de um bebê recém - nascido.

 

Conformismo é um veneno letal para as organizações. A mão-de-obra cedeu lugar à cabeça e ao coração na obra. Bom desempenho requer físico e alma pensante e presente. Para ser bem sucedido no mundo competitivo das corporações é preciso contar com gestores capazes de liderar mudanças. As forças do mercado são implacáveis com os profissionais e empresários destituídos de humildade, que perderam com o tempo a capacidade de aprender e de mudar. Quem pensa que sabe tudo sobre o negócio porque se dedicou algumas dezenas de anos a um determinado setor ou atividade, fecha a porta para o aprendizado vitalício.  Sem a melhoria contínua não teremos voz nem vez, num mundo intensamente regido por tecnologias e reengenharias de gestão em constante evolução.

 

Por mais paradoxal que pareça, a única certeza que temos é de que “tudo vai mudar nos próximos vinte minutos”. Isso significa dizer que ou você muda, ou dança. No varejo, todos os dias precisamos nos reinventar e manter um clima de reinauguração sem perder o olhar crítico de quem olha a empresa de fora para dentro.

 

Mais importante do que a visão no cliente é buscar ter a visão do cliente. Para isso, cada vez mais as organizações se familiarizam com as ferramentas de pesquisa. Pesquisa só ajuda quando fazemos as perguntas certas para as pessoas certas, isto é, para o mercado alvo. Neste cenário, o posicionamento mercadológico adequado é uma questão de vida ou morte dos negócios. Sem foco fica muito difícil conquistar uma posição na mente e no coração dos consumidores.

 

A tecnologia está à disposição de todos e qualidade total virou commodity. A estrutura de recursos humanos ganhou status maior do que a estrutura física, pois serviços e agilidade são cada vez mais valorizados. Mais do que nunca, precisamos contar com pessoas comprometidas e motivadas. E para contar com colaboradores com este perfil já não basta fazer ou contratar palestras motivacionais. Também é preciso com urgência modernizar as formas de remuneração de maneira a criar condições para que a força de trabalho se sinta parceira no negócio. Comprometimento tem seu preço. Discursos e leitura de auto-ajuda é insuficiente para manter uma equipe energizada e agindo comprometida como donos dos processos e dos negócios. 

 

Além de adequada e justa política de remuneração, as novas gerações querem trabalhar em ambientes desafiadores; anseiam por oportunidades de crescimento e reconhecimento e justo retorno por suas contribuições. É injusto esperar dos outros sem dar nada em troca. Para contar com pessoas adequadas em suas fileiras, as empresas precisam se adequar fazendo a sua parte, dando a sua contrapartida, tornando-se um bom lugar para se trabalhar e se desenvolver os talentos. Empresa que não garante o futuro dos seus colaboradores tem pouca chance de ter futuro, pois neste caso também vale a lei universal de que “é dando que se recebe”.   

 

Soeli de Oliveira é consultora e palestrante das áreas de marketing, varejo, atendimento e motivação do Instituto Tecnológico de Negócios. www.itnconsultoria.com.br - E-mail: soeli@sinos.net – Novo Hamburgo – RS.