Empreendedorismo

Por Soeli de Oliveira

O que é empreender?

Empreender é detectar uma necessidade não satisfeita ou falta de qualidade em algum produto ou serviço e apresentar uma solução diferenciada. Está ligado à inovação, à exploração de uma brecha de mercado, de um nicho de mercado que ninguém viu.

Diferente do que muita gente acredita, uma idéia de negócio não significa necessariamente uma oportunidade de negócio. Uma idéia é uma oportunidade quando traz em si a solução concreta para alguma necessidade.

Como identificar um empreendedor?

O empreendedor é alguém que sonha e busca transformar o seu sonho em realidade. Alguém capaz de identificar e aproveitar oportunidades, buscando e gerenciando recursos para transformar as oportunidades em negócio de sucesso. É visionário, otimista e determinado. Sabe explorar ao máximo as oportunidades. É líder, formador de equipe e bem relacionado. Possui conhecimento e é apaixonado pelo que faz. É independente e constrói seu próprio destino. Faz a diferença, pois sabe tomar decisões. Planeja sempre, para assumir riscos calculados e criar valor para a sociedade.

Identificamos o empreendedor pela sua forma de ser, não pela atividade que exerce. Definições mais abrangentes mostram que o empreendedorismo vai além do ato de abrir novas empresas e que pode estar relacionado a vários tipos de organizações. O espírito empreendedor pode estar em qualquer atividade:

ü  No serviço público

ü  No terceiro setor

ü  Nas atividades pessoais

ü  Nos relacionamentos familiares

ü  Etc.

Quais os passos para se empreender com segurança, qualidade e obter sucesso no negócio desejado?

O primeiro passo para que se tenha êxito na implantação de um negócio é a sua definição estratégica. É estratégica a escolha do mercado em que se vai atuar, e dentro deste, o segmento que será atendido e a maneira que este será atendido, pois quem quer ser tudo para todos, acaba sendo nada para ninguém.

O segundo passo é a elaboração de um projeto consistente, também conhecido como plano de negócio. Projeto é informações e conhecimentos sistematizados, a organização das informações e do conhecimento sobre o empreendimento. Serve para orientar e maximizar a utilização dos recursos, pois como diz um dos postulados da economia os recursos são escassos e as necessidades são ilimitadas.

O terceiro passo rumo ao sucesso na implantação de um negócio é a criação dos processos internos para que se possa entregar ao consumidor final aquilo que foi prometido, com a máxima qualidade e a preços competitivos. Sem processos internos adequados não se tem competitividade. No cenário tecnológico atual, uma empresa só terá condições de competir se for detentora de competentes processos internos, não importa se próprios ou terceirizados.

O quarto passo é o estabelecimento de diferenciais. Os consumidores já têm os seus fornecedores habituais, e não querem trocar seis por meia-dúzia. Fuja de ser apenas mais um no mercado. Esta é a hora de usar sem economia a criatividade que todos temos dentro de nós. Buscar ser incomum, diferente e único. Inovar. Mas, afinal, o que é inovação? Inovação nada mais é do que algo gerado de uma ideia original. A inovação só faz sentido quando vem de uma linha de pesquisa utilitária, isto é, atende a uma necessidade do mercado. E mais: faça da cultura da inovação, o DNA da sua empresa. Mantenha-se na dianteira, pois como muito bem diz um ditado popular do interior paulista, boi lerdo bebe água suja. Empresa ou profissional que não inova, em três anos perde a competitividade.

Quais os principais erros cometidos por quem quer empreender?

Escassez de recursos para investimentos em estrutura, carência e desconhecimento de mercado e falta de capital de giro, são os três principais motivos apontados pelos empreendedores para a alarmante estatística de mortalidade infantil das micro e pequenas empresas. Na verdade, todas estas alegações não passam de meias verdades, pois na raiz do problema está a falta de informações e de planejamento. Para nascer sadia, uma criança necessita de nove meses de gestação. Uma empresa deve ser gestada no mínimo por igual período, tempo este dedicado a muita busca de informações de mercado e de gestão.

A sociedade raramente nos prepara para o casamento ou para criar e educar filhos, por exemplo.  Da mesma maneira, muitos se metem a facão sem cabo na aventura de criar empreendimentos, tão preparados como uma barata a qual se pedisse para dançar tango. E aí, precisamente, reside a maior causa da desastrosa estatística de empresários falidos nos primeiros três anos de aventura pelo mundo dos negócios.

Consultorias ou orientações como as do SEBRAE são importantes para empreender?

Poucos países no mundo contam com entidades de apoio tão competentes e dispostas a ajudar os empreendedores como o SEBRAE no Brasil. Diz a sabedoria popular que onde há vontade há meios. Se o caminho do empreendedorismo parecer um beco sem saída, o empreendedor poderá buscar ajuda de quem sabe, pois consultoria há muito tempo passou de artigo de luxo para artigo de primeira necessidade.

O Brasil é um país de empreendedores ou ainda estamos distantes de alcançar o ideal?

Contamos com um razoável volume de empreendedores no Brasil. O maior desafio agora não é o crescimento numérico, mas sim, qualificá-los, garantindo a sua competitividade e crescimento. Juntamente com o crescimento de volume, cresceu também a mortalidade de empresas. Quando uma empresa fecha, ocorrem diversos impactos negativos na sociedade. Empregados ficam desempregados, empresários ficam desempresados, o governo deixa de arrecadar impostos e todo o investimento realizado e esperança depositados no negócio é perdida.

O que o país precisa para incentivar os brasileiros a empreender mais?

A nova forma jurídica para legalizar pequenos negócios, chamada Micro Empreendedor individual (MEI), foi uma das ações mais concretas de apoio ao empreendedorismo em nosso país. Mas é preciso fazer mais, a carga tributária é sufocante, principalmente para as empresas de serviço impedidas de se enquadrarem no Simples Nacional. A carga tributária deveria ser progressiva em função do volume de faturamento e não em função da modalidade jurídica da empresa.

Se alguém quiser mudar o rumo da sua vida e apostar em seu empreendimento em 2013 como projeto pessoal, quais conselhos você daria?

O fazejamento deve ser substituído pelo planejamento. Não importa se você é empreendedor experiente ou marinheiro de primeira viagem. Priorizar o planejamento e a busca de informações é fundamental para ser bem sucedido.

Empreendedorismo e planejamento devem caminhar juntos. Planejamento éuma ferramenta de gestão que possibilita perceber e avaliar a realidade com antecedência, e construir um referencial futuro. É também definido como o processo que leva ao estabelecimento de um conjunto ordenado de ações, visando à consecução de determinados objetivos.

O plano de negócio por si só não garante sucesso, entretanto, ainda que um empreendimento iniciado sem planejamento possa gerar bons resultados, as probabilidades de fracasso são grandes.

Considerações que achares necessárias.

O empreendedorismo gera diversos benefícios à sociedade, amplia as possibilidades da economia, gera novos empregos e riquezas para a sociedade.

 

Soeli de Oliveira  é consultora e palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios nas áreas de marketing, varejo, atendimento e motivação. www.itnconsultoria.c om.br -  E-mail: soeli@sinos.net  – Novo Hamburgo – RS.