Destaque sua Funerária da Concorrência

 

Por Soeli de Oliveira

 

A vida é marcada por cerimônias, e o funeral é a mais dolorosa e marcante delas. Não queremos conviver com a morte, mas quando ela acontece, temos que obrigatoriamente consumir produtos e serviços funerários. A ocasião exige do atendente uma postura ética e respeitosa, pois o serviço se dá, normalmente, em um momento de profunda emoção.

 

Toda atividade funerária deve caracterizar-se pelo respeito à dignidade da pessoa humana, às suas crenças e aos seus sentimentos. O serviço funerário é uma extensão do serviço de saúde. É necessário ter o perfil adequado e muita preparação para atender com excelência. É por isto que os profissionais dessa área devem estar muito bem preparados para prestarem um serviço ético e com responsabilidade.

 

Caixões são apenas a parte mais visível do negócio. O serviço funerário atua num momento de stress, e a agilidade é uma das características necessárias de quem trabalha no setor. Frases feitas, tão usadas no varejo como “que bom que você veio”, “foi um prazer atendê-lo” e “obrigado, volte sempre” são inaceitáveis.

 

A inovação é um dos grandes diferenciais das empresas que se destacam. Oferecer aos clientes mais opções de serviço nos funerais - como o lançamento de balões brancos, revoada de pombas, avião rebocando faixa, utilização de luzes e fumaça, cremação, músico tocando piano, violino, entre outros instrumentos - agregam valor aos serviços prestados.

 

O mercado é bastante competitivo e as empresas precisam ser muito criativas para conquistar a preferência dos clientes. Tradicionalmente este mercado tem sido muito conservador devido aos aspectos culturais que envolvem o tema da morte. A empresa funerária deve ter um cuidado especial com a escolha do nome fantasia da empresa e de seu slogan. Seu nome deve sinalizar tranqüilidade, carinho e cuidado. É recomendável também investir fortemente em estratégias de marketing de relacionamento através da participação em entidades associativas e comunitárias. As empresas funerárias, modernas em seu layout, começam a se assemelhar a agências de turismo. É preciso ter cuidado com o ambiente - os caixões devem ficar em uma sala separada da área de atendimento.

 

A percepção do atendimento como um todo leva à formação da imagem dos serviços e da organização. A empresa possui conhecimento técnico e estrutura física adequada à execução dos serviços? A comunicação e o marketing a respeito da morte precisam ser feitas com profissionalismo, bom senso e muita sensibilidade e no momento certo. A sua melhor forma de fazer marketing é através do boca a boca gerado principalmente pelo bom atendimento. E, para que ele seja potencializado conta muito a postura, o conhecimento e a qualificação dos atendentes.

 

A equipe de vendas está preparada para esclarecer os detalhes dos produtos e serviços? Está treinada para perguntar, ouvir e entender o que os clientes desejam e sugerir os produtos e serviços mais adequados? O atendimento é composto mais por serviços, do que pela venda de produtos. Trâmites legais, atestado de óbito, seguros, acompanhamento, disponibilidade para acompanhar o cliente ao Instituto Médico Legal (IML), hospital, velório, cartório, etc., são partes das tarefas a serem desempenhadas.

 

Os prestadores de serviços funerários devem ter uma atitude prestativa, atenciosa e acolhedora, trabalhando de forma serena e segura, contribuindo para que a última homenagem seja a melhor possível.

 

Soeli de Oliveira é consultora e Palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios nas áreas de Marketing, Varejo, Atendimento e Motivação. www.itnconsultoria.com.br - e-mail: soeli@sinos.net – Novo Hamburgo – RS.