Desmistificando Conceitos Financeiros  I

Por Marcos Luthero

 

Não poucas vezes encontramos pessoas até bem intencionadas, porém, mal informadas sobre finanças afirmando estar em negócios que rendem mais de 100% de lucros. Ora, se o lucro é igual ao preço de venda descontando seus custos variáveis e fixos, logo o preço equivale a 100% e o lucro sempre será uma fração deste, ou seja, sempre será menor do que 100%.

 

O que é Lucro e o que é Lucratividade?

 

Lucro é o resultado monetário positivo após se reduzir das vendas todos os custos e despesas. Já lucratividade é a relação do lucro pelas vendas; é o valor relativo ou percentual que se obtém dividindo o lucro pelas vendas de um período multiplicando por cem.

 

E como saber se o lucro e conseqüentemente a lucratividade é adequada?

 

1º. Quanto maior melhor.

2º. Deve ser comparada com a média do setor em que a empresa atua.

3º. Deve atender a expectativa do empreendedor.

 

O que é Rentabilidade?

 

Rentabilidade é o percentual ou valor relativo obtido através da divisão do lucro pelos investimentos, multiplicado por cem.

 

Como Saber Se o Lucro Proporciona a Rentabilidade Adequada em Relação ao Capital Investido?

 

Além de serem válidas e aplicáveis as três premissas anteriores com relação a lucratividade, também se leva em conta quanto renderia o mesmo investimento feito em uma aplicação tradicional e de baixo risco, por exemplo os mesmos valores  aplicados na caderneta de poupança, CDB, etc.

 

O que é Investimento Fixo e Capital de Giro?

 

Os investimentos fixos compreendem os valores aplicados na estrutura física para fabricação ou comercialização de outros bens e serviços, com retorno através dos preços do preço de venda dos mesmos, no médio ou no longo prazo.

 

Os investimentos em Capital de Giro compreendem basicamente os valores aplicados na formação dos estoques e no financiamento das vendas. Também  é influenciado pelo volume e os prazos de compras e vendas praticados.

 

Como Diminuir a Necessidade de Capital de Giro?

 

O ideal que é que as empresas obtenham prazo maior dos seus fornecedores do que concedem para seus clientes.  Esse simples procedimento diminuirá drasticamente a necessidade de capital de giro para tocar o negócio.

 

Devo financiar os Investimentos Fixos ou o Capital de Giro?

 

Sendo os recursos para investir insuficientes, deve-se buscar financiar a estrutura fixa, cujo retorno é de médio e longo prazo, ficando-se com os recursos próprios para financiar o capital de giro do negócio que é de curto prazo. É  mais fácil captar recursos para aquisição bens que podem constituir parte das garantias de um empréstimo do que recursos para capital de giro, cuja perecibilidade é alta.

 

Qual é o tempo ideal para o retorno de um investimento?

 

Normalmente é considerado viável um investimento nas atividades comerciais cujo retorno se dê em tempo inferior a quarenta meses. Na área de serviços, onde os investimentos são menores, espera-se o retorno em menos da metade deste prazo. Na indústria e em grandes projetos, aceita-se um retorno em prazo além destes períodos.

 

Marcos Luthero é Consultor e Palestrante do Instituto Tecnológico de Negócios das Áreas de Planejamento Estratégico, Planos de Negócios, Gestão Financeira, Projetos de Financiamentos, Custos e Formação de Preços  de  Venda. www.itnconsultoria.com.br  - E-mail: itnconsultoria@sinos.net -  Novo Hamburgo - RS.